Água potável: Recurso Vital para nossa sobrevivência

Água Potável: Um bem cada vez mais ameaçado

A água potável e facilmente disponível é importante para a saúde pública, seja para beber, para uso doméstico, para a produção de alimentos ou para fins recreativos.

O abastecimento de água e saneamento melhorados e a melhor gestão dos recursos hídricos podem impulsionar o crescimento econômico dos países e contribuir muito para a redução da pobreza.

Em 2010, a Assembleia Geral da ONU reconheceu explicitamente o direito humano à água e ao saneamento. Todas as pessoas têm direito a água suficiente, contínua, segura, aceitável, fisicamente acessível e barata para uso pessoal e doméstico. Mas será que realmente esse objetivo será possível?

O que significa água potável?

Água potável significa simplesmente uma água segura para se beber e está se tornando bem cada vez mais escasso no mundo.

O uso crescente está estressando os recursos de água doce em todo o mundo, e uma lista aparentemente interminável de contaminantes pode transformar a água antes potável em um perigo para a saúde ou simplesmente torná-la inaceitável esteticamente.

Dos mais de 2 bilhões de pessoas que não têm água potável em casa, 844 milhões não têm nem mesmo serviço básico de água potável.

Nesse número estamos incluindo 263 milhões que precisam viajar 30 minutos por viagem para coletar água. Cerca de 159 milhões bebem água de superfície não tratada.

Água não potável é uma das principais causas de doenças diarreicas, que mata cerca de 800.000 crianças menores de 5 anos por ano, geralmente em países em desenvolvimento. Mas espera-se que 90 países não consigam atingir a meta de cobertura universal até 2030.

O que torna a água imprópria para beber?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) organiza a contaminação da água potável em orgânica, inorgânica, radiológica e microbiológica e inclui medidas de aceitabilidade de sabor, cheiro e aparência.

Poluentes orgânicos

Contaminantes orgânicos são produtos químicos à base de carbono, incluindo solventes e pesticidas, que são introduzidos por meio de escoamento agrícola ou descarga industrial. Eles podem ser responsáveis ​​por uma série de problemas de saúde graves, desde câncer a distúrbios da função endócrina.

Poluentes Radiológicos

Ameaças radiológicas incluem radônio, césio, plutônio e urânio. Na América do Norte, o radônio é a principal causa de câncer de pulmão em não fumantes e a principal causa ambiental de mortalidade por câncer em geral.

Poluentes inorgânicos

Poluentes inorgânicos, como ácidos minerais, sais inorgânicos, metais, cianetos e sulfatos, persistem no meio ambiente. Os metais pesados ​​podem causar problemas neurológicos em humanos, especialmente no feto e nas crianças, e também se bioacumulam em alguns alimentos.

O arsênico pode causar câncer, lesões de pele, doenças cardiovasculares, diabetes e comprometimento cognitivo. O florescimento de algas a partir de nutrientes como fósforo e nitrogênio também pode introduzir cianotoxinas na água potável.

Patógenos e suas doenças

Patógenos transmitidos pela água, incluindo bactérias, vírus, protozoários e parasitas, são geralmente introduzidos na água através das fezes e podem causar uma variedade de doenças.

Elas variam desde gastroenterite leve até diarreia potencialmente fatal, disenteria, hepatite, febre tifóide, cólera e criptosporidiose. Milhões também estão infectados com doenças tropicais transmitidas pela água que incluem o tracoma, a causa mais comum de cegueira evitável.

Também ameaçando a água potável estão os chamados “contaminantes emergentes” ou “contaminantes de preocupação ambiental emergente”. Isso inclui os produtos farmacêuticos introduzidos por meio de esgoto e escoamento de operações de gado.

A turvação (falta de clareza causada por partículas misturadas) pode dar à água um sabor, cheiro ou aparência inaceitáveis. Se a água turva é prejudicial ou apenas pouco atraente, depende do material presente.

Para um tratamento eficaz de água potável, é importante analisar cuidadosamente a fonte de água e, em seguida, adaptar o tratamento às condições e padrões específicos da água.

Água potável no Mundo

Mudanças climáticas, aumento da escassez de água, crescimento populacional, mudanças demográficas e urbanização já representam desafios para os sistemas de abastecimento de água.

Em 2025, metade da população mundial estará vivendo em áreas com escassez de água. A reutilização de águas residuais, para recuperar água, nutrientes ou energia, está se tornando uma estratégia importante.

Cada vez mais os países estão usando águas servidas para irrigação – nos países em desenvolvimento, isso representa 7% da terra irrigada. Embora essa prática, se feita de forma inadequada, apresente riscos à saúde, o gerenciamento seguro das águas residuais pode gerar vários benefícios, incluindo o aumento da produção de alimentos.

As opções de fontes de água usadas para água potável e irrigação continuarão a evoluir, com uma dependência cada vez maior das águas subterrâneas e de fontes alternativas, incluindo águas residuais.

A mudança climática levará a maiores flutuações na água da chuva coletada. A gestão de todos os recursos hídricos terá de ser melhorada para garantir o abastecimento e a qualidade.

Em 2017, 5,3 bilhões de pessoas usaram serviços de água potável gerenciados de forma segura – ou seja, eles usaram fontes de água melhoradas localizadas nas instalações, disponíveis quando necessário e livre de contaminação. Os 2,2 bilhões de pessoas restantes sem serviços gerenciados com segurança em 2017 incluíram:

  • 1,4 bilhão de pessoas com serviços básicos, ou seja, uma fonte de água melhorada localizada em uma viagem de ida e volta de 30 minutos
  • 206 milhões de pessoas com serviços limitados ou uma fonte de água melhorada que requer mais de 30 minutos para coletar água
  • 435 milhões de pessoas tomando água de poços e nascentes desprotegidos
  • 144 milhões de pessoas coletando águas superficiais não tratadas de lagos, lagoas, rios e riachos.
  • Desigualdades geográficas, socioculturais e econômicas agudas persistem, não apenas entre as áreas rurais e urbanas, mas também em vilas e cidades onde as pessoas que vivem em assentamentos de baixa renda, informais ou ilegais geralmente têm menos acesso a fontes melhoradas de água potável do que outros residentes.

O futuro da água potável

A demanda por água doce em todo o mundo deve aumentar 55% entre 2000 e 2050 e, recentemente, os cientistas da NASA determinaram que os recursos de água doce estão sendo usados ​​mais rápido do que estão sendo repostos. Jay Famiglietti, hidrólogo sênior da NASA, advertiu: “O lençol freático está caindo em todo o mundo. Não há um suprimento infinito de água. ”

A água potável é fundamental para a vida humana e podemos esperar que seja um problema crescente no futuro próximo.

Água potável e Saneamento Básico

Água contaminada e falta de saneamento estão ligados à transmissão de doenças como cólera, diarreia, disenteria, hepatite A, febre tifóide e poliomielite.

Os serviços de água e saneamento ausentes, inadequados ou geridos de forma inadequada expõem os indivíduos a riscos de saúde evitáveis.

Este é particularmente o caso em instalações de saúde onde tanto os pacientes quanto a equipe são colocados em risco adicional de infecção e doença quando há falta de água, saneamento e serviços de higiene.

Globalmente, 15% dos pacientes desenvolvem infecção durante a internação hospitalar, com proporção muito maior em países de baixa renda.

A gestão inadequada de águas residuais urbanas, industriais e agrícolas significa que a água potável de centenas de milhões de pessoas está perigosamente contaminada ou quimicamente poluída.

Estima-se que cerca de 829.000 pessoas morram a cada ano de diarreia como resultado de água potável, saneamento e higiene das mãos impróprios.

No entanto, a diarreia pode ser amplamente evitada e as mortes de 297.000 crianças com menos de 5 anos poderiam ser evitadas todos os anos se estes fatores de risco fossem tratados.

Onde a água não está disponível, as pessoas podem decidir que lavar as mãos não é uma prioridade, aumentando assim a probabilidade de diarreia e outras doenças.

A diarreia é a doença mais conhecida, associada a alimentos e água contaminados, mas existem outros perigos. Em 2017, mais de 220 milhões de pessoas necessitaram de tratamento preventivo para esquistossomose – doença aguda e crônica causada por vermes parasitas contraídos por exposição à água infestada.

Em muitas partes do mundo, os insetos que vivem ou se reproduzem na água carregam e transmitem doenças como a dengue.

Alguns desses insetos, conhecidos como vetores, se reproduzem em água limpa, em vez de suja, e os recipientes domésticos de água potável podem servir como criadouros.

A simples intervenção de cobrir os recipientes de armazenamento de água pode reduzir a reprodução de vetores e também pode reduzir a contaminação fecal da água no nível doméstico.

Efeitos econômicos e sociais do acesso à Água Potável

Quando a água vem de fontes melhores e mais acessíveis, as pessoas gastam menos tempo e esforço fisicamente para a coletar. Isso significa que podem ser produtivas de outras maneiras.

Isso também pode resultar em maior segurança pessoal, reduzindo a necessidade de fazer viagens longas ou arriscadas para coletar água.

Melhores fontes de água também significam menos gastos com saúde, já que as pessoas têm menos probabilidade de adoecer e incorrer em despesas médicas. Assim, são mais capazes de se manterem economicamente produtivas.

Com as crianças particularmente em risco de doenças relacionadas com a água, o acesso a fontes de água de melhor qualidade pode resultar em melhor saúde. Portanto, melhor frequência escolar, com consequências positivas de longo prazo para suas vidas.

Dados alarmantes sobre o acesso a Água no Mundo

  • Em 2017, 71% da população global (5,3 bilhões de pessoas) utilizou um serviço de água potável com gestão segura – ou seja, um local, disponível quando necessário e livre de contaminação.
  • 90% da população global (6,8 bilhões de pessoas) usava pelo menos um serviço básico. Um serviço básico é uma fonte melhorada de água potável em uma viagem de ida e volta de 30 minutos para coletar água.
  • 785 milhões de pessoas carecem até mesmo de um serviço básico de água potável, incluindo 144 milhões de pessoas que dependem da água de superfície.
  • Globalmente, pelo menos 2 bilhões de pessoas usam uma fonte de água potável contaminada com fezes.
  • A água contaminada pode transmitir doenças como diarreia, cólera, disenteria, febre tifóide e poliomielite. Estima-se que a água potável contaminada cause 485.000 mortes por diarreia a cada ano.
  • Em 2025, metade da população mundial estará vivendo em áreas com escassez de água.
  • Nos países menos desenvolvidos, 22% dos estabelecimentos de saúde não têm serviço de água, 21% não tem serviço de saneamento e 22% não tem serviço de gestão de resíduos.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.